14.5.10

O Flamengo e a histeria coletiva

Há tempos percebo na torcida do Flamengo uma ala botafoguense. Tal ala está cada vez maior. Só apoia o time quando o placar é favorável. Basta tomar um gol que começam os xingamentos, as vaias, os apupos. Nessa última quarta, no jogo contra a Universidade do Chile, tudo começou aos quatro minutos de jogo. O jovem Rômulo tentou sair driblando e perdeu a bola. Na próxima vez que tocou na bola, vaias. À quem a torcida acha que está ajudando ao vaiar um dos seus jogadores tão cedo, além do adversário? Será que acham que o Rômulo vai jogar melhor ao ser vaiado, ou não imaginam que podem desestabilizar ainda mais o jogador.
Ninguém é cego. O time jogou mal demais! Os primeiros 30 minutos de jogo foram um horror poucas vezes visto. Nada deu certo e os chilenos fizeram dois gols. Mas vaiar adianta? Não será mais útil e inteligente se colocar atrás do time e mostrar que os 70 mil nas arquibancadas acreditam nos 11 em campo?
Um rapaz ao meu lado vaiava e xingava insanamente o Vagner Love. O mesmo Vagner Love que fez o gol da classificação no Pacaembu, uma semana antes. O mesmo Vagner Love que é, sem dúvida, o melhor jogador do elenco no primeiro semestre de 2010.
O goleiro Bruno é outro exemplo. Sem ele, pode-se dizer, não seríamos hexacampeões brasileiros. Isso é um fato. Assim como os gols do Adriano, do Pet e do Zé Roberto, as defesas do Bruno garantiram a conquista. Não lembram do jogo contra o Santos, ou do jogo contra o Botafogo? Três penaltis batidos e três defendidos. Mas, mesmo assim, após um gol, engraçadinhos nas cadeiras resolvem mandar o Bruno tomar no cu. Pedem Júlio Cesar. Há como ser mais imbecil? Acho que não.
Juan é ainda mais um exemplo. Foi, sem dúvida, o jogador mais acionado no jogo de quarta-feira. Lutou, correu, acertou e errou (errou mais do que acertou). No fim, fez o gol que tornou o sonho da classificação no Chile menos um delírio e mais uma possibilidade. Mesmo assim, não escapa das vaias. Por que tanta insatisfação?
Ao assistir o comportamento da ala botafoguense da torcida, pode-se imagonar que ele é o acúmulo de irritações por uma série de fracassos desse grupo. mas não.
Com alterações aqui e ali, esse grupo de jogadores foi tricampeão estadual, campeão da Copa do Brasil e campeão brasileiro, além de ter chegado entre os cinco primeiros colocados no brasileirão nos últimos três anos (3o em 2007, 5o em 2008 e 1o em 2009). Tais resultados recolocaram o Flamengo no cenário internacional (Libertadores), o que não acontecia desde 2003. Sem contar o fim das lutas contra o rebaixamento.
Então, qual seria o motivo de tanta histeria e falta de apoio? Por que só fazer festa e ficar ao lado do time nos momentos de vitória? Para mim, isso é fruto de falta de informação. Parte da torcida vai ao estádio com o que chamo de espírito "Galvão Bueno", que se define por desconhecer as circunstâncias do jogo, a situação do próprio e time e ignorar totalmente o adversário.
O Universidade do Chile, por exemplo, está invicto na Libertadores e é vice-líder do campeonato chileno. É um bom time que, principalmente, sabe jogar fora de casa. Já havia mostrado isso na primeira fase contra o Flamengo e nas oitavas de final, quando derrotou o Alianza Lima, no Peru.
Ficar irritado com uma má atuação é mais do que compreensível. Mas agravar ainda mais a situação tornando o ambiente de jogo pesado com xingamentos e vaias é burrice. Não ajuda em nada o Flamengo e só dá corda aos criadores de crise que infestam a imprensa arco-íris, incensada desde o hexa e em missão permanente para implodir o time e o clube.
Na quarta, quase briguei com um idiota que teve a pachorra de dizer, com ar indignado: "Paguei ingresso, posso reclamar!" Por favor, meu filho. Ingresso não é imposto de renda. Paga quem quer. Futebol não é teatro, cinema ou show de música em que o espectador tem "direito" a ver algo de boa qualidade. Torcida não é platéia. Torcida é parte do jogo. Ali de cima, ela tem poder de influenciar e alterar os rumos da partida. Não é por causa do gramado ou do vestiário que se dá valor ao mando de campo, mas por causa da força da torcida, principalmente uma torcida como a do Flamengo, gigantesca, criativa e incansável.
Por isso, há que se manter a calma e apoiar. Sempre, independente das circunstâncias. Cobranças devem ser feitas após o jogo, no dia a dia do clube, para mostrar ao elenco e diretoria que estamos de olho e que desrespeito com o Flamengo não será aceito. Mas no Macaranã, com a bola rolando, há que se apoiar. Bora Mengão Sempre!
Ivan Trindade

Marcadores: , , , , , , ,

7 Comments:

Blogger Luca said...

Infelizmente, esse comportamento não é de "há tempos", sempre foi assim. Eu ia a jogos na década de 80 e 90 e já tinha reparado que a nossa torcida só apoia na vitória, embora nunca tenha feito texto sobre o assunto (muito bom, aliás). Mas é explicável por que temos tantos fracassos no Maracanã.

7:10 AM  
Blogger Cleiton said...

E acrescente a tudo isso uma Presidente totalmente despraparada; que não blinda o time e deixa a 'crise plantada' tomar proporções incontrolaveis.

8:41 AM  
Blogger [CRF]Mengão said...

Ah vai tomar no cu, o Bruno é totalmente irregular mesmo, se o time tivesse jogando bem tinha que apoiar, mas estavam totalmente sem vontade, foda-se, se não aguenta pede pra sair, aqui é Flamengo. Acabou a Libertadores, de novo, parece que nunca mais vamos ganhá-la.

1:18 PM  
Blogger Glaucio servo de Deus said...

caro amigo , fiquei feliz e muito emocionado com o seu relato , e concordo plenamente com seu comentário , não fui ao jogo , há muito que não vou , mas sempre acompanho rodeados de amigos rubro-negros em meu trayller , e sempre notamos esse fato , de a torcida do mengão nas arquibancadas , apenas fazer festa no inicio , e durante o resto da partida , ela se cala ou vaia , principalmente se o time sair atrás do placar .
acho que devemos mudar essa atitude , e se espelhar um pouco mais nos malucos corinthianos , que não largaram o seu time nem na segundona , apoio sempre, reclamo depois , mas aceitar o BRUNO dizer que está se lixando prá nos , é demais pra mim . abraços rubro-negro .

2:43 PM  
Blogger VictorVianaTJD said...

Amigo, concordo com você, recentemente a maioria da torcida tem se calado diante da adversidade do resultado, mas discordo do colega, nossa torcida ainda remanesce naquela parte que apóia a vitória a todo custo, que quando toma gol, canta o hino do clube e que apóia os 90 minutos. Contra o América do México, tomando o terceiro gol o hino foi cantado até o final, e em outros diversos jogos, a Nação corre pra fazer o resultado. Mas existe essa parcela que desaprendeu a torcer, que acha que o Flamengo é um clube simples do Rio de Janeiro. Não é.

É por isso que eu prefiro 40 mil, 50 mil do que 80 mil no estádio, esses que vão para assistir, são os modinhas que vaiam por qualquer coisa, aparece só pra ver ganhar.

Depois que a Raça diminiu de tamanho, e a Urubuzada foi criada, as coisas ficaram muito diferentes, a torcida caiu na qualidade mesmo.. mas na beleza ainda não, é a mais bonita, com bandeiras, e festas... mas o que cativava todos nós é aquela massa imensa uniforme apoiando incondicionalmente, e essa massa tá diminuindo.

2:50 PM  
Blogger Luca said...

A verdade é que o Falando Sozinho bombou!

11:57 AM  
Blogger Déb said...

Perfeito... eu tô farta desses corneteiros falsos rubro negros... no Maraca sempre que posso, com o Mengo onde ele estiver... só acho q o Bruno de boca fechada é um bom goleiro... SRN!

12:41 AM  

Postar um comentário

<< Home